Cuidados com a pele

A pele é o maior órgão do nosso corpo e é um dos grandes focos que devemos ter para manter a saúde em dia. Diversos fatores contribuem para o surgimento de manchas, doenças e problemas na pele que podem causar danos para a saúde, como: poluição, estresse, tabagismo, clima, consumo de bebida alcoólica, exposição ao sol, alimentação e falta de cuidados diários. Por isso, manter alguns cuidados com a pele no dia a dia é muito importante. Separamos algumas dicas e informações para você começar a cuidar mais da sua. Quais são os principais cuidados com a pele? A Drª Aline Bianchini, Radiologista da Clínica Imagem, deu algumas dicas de hábitos para preservar a nossa pele. Veja quais são eles. - Higiene adequada: é de extrema importância para manter a pele limpa, livre de poluentes e para remover agentes infectantes que possam se acumular durante o dia. É recomendado fazer uma limpeza duas vezes ao dia com sabonetes específicos para cada tipo de pele. - Hidratação frequente: uma boa hidratação é feita com a ingestão de água durante o dia e com o uso de hidratantes adequados para cada tipo de pele. Além de auxiliar na manutenção do viço e da beleza da pele, a hidratação é fundamental para manter a integridade da camada de proteção cutânea e para evitar problemas como descamação, ressecamento, envelhecimento precoce e infecções. - Uso de protetores solares: a exposição excessiva ao sol e à radiação ultravioleta tem efeito cumulativo, pois os raios solares penetram profundamente na pele, podendo provocar diversas alterações, como o câncer de pele. A maioria dos cânceres da pele está relacionada à exposição ao sol, por isso devemos ter um cuidado especial com os horários de exposição e com o uso dos protetores solares. - Consulta de rotina ao dermatologista: é importante manter um acompanhamento com um dermatologista, para receber orientações adequadas sobre os cuidados específicos para cada tipo de pele, bem como para rastreio de eventuais lesões que possam surgir. Além disso, um especialista pode orientar e prescrever tratamentos adequados para prevenir doenças cutâneas, retardar sinais de envelhecimento e realizar procedimentos estéticos indicados com segurança. Quais sinais na pele são motivos para consultar um dermatologista? É fundamental ficar atento aos sinais que aparecem na pele e que podem indicar problemas. Ao notar qualquer um deles, é recomendado consultar um dermatologista o quanto antes. Veja quais são os principais sinais que devemos ficar de olho. 1) Lesões que apresentam sangramentos Essas lesões podem ser problemas simples, podendo ser retiradas pelo dermatologista, ou podem ser um sinal de problemas graves, como o carcinoma basocelular, um câncer consequente da exposição constante à radiação solar. Por isso, a consulta ao dermatologista é essencial para que sejam feitos os exames necessários para a identificação do problema. 2) Alterações nas pintas As pintas são sinais comuns, sem grandes riscos à saúde, mas, quando notamos alterações nelas, é preciso ficar atento. Algumas alterações comuns são mudanças no formato, no tamanho ou até mesmo na sua coloração. Ao notar qualquer mudança, é fundamental procurar um dermatologista, pois pode ser um sinal de melanoma. 3) Manchas brancas pelo corpo As manchas brancas são um problema comum na pele e são causadas, principalmente, por infecções fúngicas que geram micoses. Somente um dermatologista pode indicar os medicamentos adequados para cada caso, para que as manchas sejam tratadas de forma correta. 4) Manchas de sol na pele As manchas de sol também são comuns, principalmente nas pessoas que têm pele mais clara, o que as tornam mais suscetíveis aos efeitos do sol. Embora nem sempre sejam um indicativo de problemas, as manchas devem ser mostradas ao dermatologista para que ele possa avaliar a melhor maneira de evitá-las, já que podem provocar um envelhecimento mais rápido da pele. Normalmente, são indicados protetores solares ou cremes tópicos para a prevenção das manchas de sol. Ultrassom dermatológico: como ele auxilia no diagnóstico de doenças na pele O diagnóstico por imagem auxilia em todos os tipos de cuidados com a pele. Na Clínica Imagem, dispomos de profissionais especializados na realização do ultrassom dermatológico. De acordo com a Drª Aline Bianchini, “o ultrassom de pele é um método diagnóstico com alta tecnologia de imagem, que determina a extensão da lesão de pele, sua localização, profundidade, vascularização e relação com outras estruturas. Pode ser utilizado para avaliar a natureza de nódulos cutâneos, bem como para o estadiamento das neoplasias, avaliando sua profundidade e a presença de metástases em trânsito. Também possui um papel importante no planejamento de procedimentos estéticos, trazendo mais segurança para a realização deles. É também de grande valia no diagnóstico de suas complicações que, quando precocemente detectadas, possuem maior chance de reversão”. Assim, o ultrassom dermatológico é um exame que auxilia no diagnóstico de diversas patologias cutâneas e fornece informações que complementam o exame clínico, trazendo benefícios para a individualização do tratamento de cada paciente. A Clínica Imagem incentiva a prevenção e o cuidado com a sua pele e com a saúde como um todo. Aqui, como citou a Drª Aline Bianchini, a medicina diagnóstica de precisão está aliada à sua saúde. Nosso cuidado é com você.

VII Semana da Enfermagem – O Olhar de quem cuida!

União, gratidão e reconhecimento, com esses objetivos idealizamos a VII Semana da Enfermagem - O Olhar de quem cuida! Que rolou entre os dias 10 e 14 de maio aqui no Hospital Baía Sul e Clínica Imagem. Um evento pensado como forma de reconhecer todos os profissionais dessa profissão que usam como ferramenta o compromisso e o cuidado, que mesmo de máscara são fáceis de serem reconhecidos, pois sempre ajudam a salvar vidas. Se liga no que rolou por aqui.   Iniciamos nossa semana com um delicioso Coffee Break e um pequeno Pocket Show com Ivan Vendemiatti, em seguida a semana foi recheada com 21 palestras que trouxeram temas como felicidade, amor próprio, jornada profissional, autoconhecimento, sua criança interior, uma roda de conversa sobre empatia, o momento que estamos vivendo, teve até dança, e não podemos esquecer da homenagem que o saxofonista João Frederico Sciotti fez para nossos enfermeiros, por fim um jantar preparado com todo carinho. E o mais legal, transmitimos tudo isso ao vivo, mais de 24 horas de conteúdos e conversas motivadoras com os mais de 27 palestrantes que se dispuseram a compartilhar suas experiências e histórias conosco! E você ainda pode assistir todas essas palestras, que estão disponíveis em formato de vídeo no nosso Canal do Youtube.   Fica aqui o nosso agradecimento ao pessoal da copa que preparou todos os coffees e comidas, a hotelaria que higienizou a sala no intervalo de todas as palestras, a equipe de TI que deu todo o suporte necessário, equipe de marketing e lideranças que planejaram todo esse movimento e todas as demais equipes que participaram direta ou indiretamente dessa ação.   Sabemos da importância dos profissionais da enfermagem na saúde, dos seus esforços diários para cuidar das pessoas e acender como uma lamparina o caminho da esperança. Por isso de forma especial homenageamos todos os nossos enfermeiros com um painel adesivo de 11 metros no nosso elevador panorâmico, demostrando todo o carinho e cuidado com aqueles que cuidam.

Como o exame de Ressonância Magnética Multiparamétrica pode identificar patologias no fígado.

Tradicionalmente, a Ressonância Magnética (RM) é utilizada para a avaliação de lesões hepáticas focais, como tumores, a partir do uso dos meios de contraste endovenosos extracelulares ou hepatoespecíficos. Novos avanços na RM permitem o diagnóstico de patologias antes indetectáveis por técnicas convencionais. A RM Multiparamétrica com ênfase no fígado é atualmente um componente central na caixa de ferramentas diagnósticas da hepatologia, pois, permite a quantificação da deposição de gordura e ferro no parênquima hepático, bem como estadia de uma forma global e com maior precisão o grau de fibrose. Doença hepática gordurosa não alcoólica, que é um espectro que varia da esteatose pura à esteato-hepatite não alcoólica e cirrose, é uma das principais causas de doença hepática crônica. Por ser uma doença muito prevalente, pode ser detectada com frequência em exames de rotina. A RM Multiparamétrica é uma técnica acurada para determinação do grau de esteatose, podendo ser usada tanto na detecção quanto na avaliação de resposta ao tratamento. O acúmulo de ferro no parênquima hepático pode ser originado de um distúrbio genético que promove o aumento da absorção de ferro, ou secundário, quando se refere a doenças crônicas ou a múltiplas transfusões sanguíneas. A distribuição do acúmulo de ferro difere entre essas duas formas; portanto, elas podem ser distinguidas usando métodos de imagem na maioria dos casos. Ressonância Magnética é a modalidade de imagem mais sensível e específica para o diagnóstico, possibilitando a quantificação da concentração de ferro intracelular hepático e identificando o acometimento de outros órgãos (baço, pâncreas e coração). Elastografia por Ressonância Magnética (ERM) é uma tecnologia em rápido desenvolvimento para avaliar quantitativamente as propriedades mecânicas do tecido. Esse método tem por objetivo mensurar a rigidez dos tecidos do corpo através da propagação de ondas mecânicas, detectando de forma acurada e precoce processos patológicos hepáticos, como inflamação (hepatite) e cirrose. No âmbito da prática clínica geral, a RM Multiparamétrica hepática é um método de imagem robusto com uma alta taxa de sucesso em um amplo espectro de pacientes. Por ser um método amplamente disponível e não invasivo, os parâmetros da RM Multiparamétrica hepática serão os principais biomarcadores para doença hepática crônica em um futuro próximo. Dr. George Lemos CRM 20046 | RQE 15478 Radiologista Clínica Imagem

1 2 3 4
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade